Saturday, February 1, 2014

Ela gostava de conseguir acreditar, totalmente, que os sentimentos dele são verdadeiros, gostava de conseguir acreditar num "tenho medo de te perder" ou num simples "gosto de ti". Em parte acredita, pois qual é a pessoa que não gosta de se sentir especial na vida de alguém? Mas o medo invade-lhe o corpo, como se fosse um buraco negro a engolir todo o seu brilho e esplendor, e por mais que queira e tente, não consegue. Foi tantas vezes rejeitada e substituída que é com esse pesadelo que tem de lidar todos os dias - um longo caminho solitário onde só ela pode tomar conta de si e que, seja quem for que se atravesse no seu caminho, acaba por tomar uma direcção diferente, com uma companhia diferente... e melhor. 
Acho que todos já  experiência-mos esse sentimento, não é? O da rejeição. Mas nem todos experiência-mos esse acto na sua forma mais brutal e de modo consecutivo, em que o seu resultado iria ser, obviamente, uma valente cicatriz na alma. E no coração. 
A única coisa que ela queria era que ele gostasse dela. Ela queria protege-lo de tudo, e queria amá-lo por inteiro. Mas ela vive no medo, e o medo é um lugar escuro. E, vá lá, todos sabemos que o escuro, quando não oculta a realidade, distorce-a sempre.

8 comments:

sam said...

São não são? Foram como facas a cortar a minha tentativa de melhorar a ideia de perda.

joana pinto said...

awww muito obrigada :3

emma said...

gostei tanto!

Cláudia R. said...

É, é mesmo.

adriana martins said...

é verdade, mesmo :( pois querida, e da minha página, a verdade e que eu nao venho aqui a meses, deixei o blog, com muita pena minha e so agora e que voltei :x e tenho de organizar a minha pagina, mas sem tempo..

Sadie said...

adorei!

Marisa Silva said...

gostei muito!

Mariana said...

Ela tem de enfrentar a luz. Eles devem arriscar. Nunca se sabe...